Avatar

Direção James Cameron

Um homem é chamado para entrar em contato com os nativos para conseguir diplomaticamente expulsá-los de sua terra. História já batida que passa uma mensagem que as pessoas custam a praticar, pois sim, elas entendem. Durante os séculos o homem invadiu e destruiu quase todos os povos nativos e suas tradições, para explorar suas riquezas materiais e culturais. E impôs a sua própria tradição, mostrando aos nativos que só assim eles seriam dignos de conviverem com os invasores bárbaros ou mesmo seriam salvos.

Em Avatar ocorre o mesmo, o homem descobre um planeta chamado Pandora que tem um mineral muito valioso. Sem se importar com os nativos, o homem invade o planeta começa a explorar o mineral. Mas, para não ocorrer um massacre em uma guerra com os nativos chamados de Na’vi, que provavelmente custaria caro á empresa que explora o planeta, eles enviam pessoas que estão conectadas a “avatares” dos nativos. Híbridos humano-Na’vi geneticamente modificados. Um humano que compartilhe material genético com um Avatar é mentalmente ligado e pode se conectar através de conexões neurais que permitem o controle do corpo do Avatar. Assim eles se comunicam mais facilmente com o povo Na’vi através de seus avatares.

Mas claro, como nada é de graça, o exército e a empresa que explora o planeta tem idéias diferentes dos cientistas para o uso desses avatares. Como já dito, convencer o povo Na’vi a sair de sua terra. Durante o filme Jake vai aprendendo sobre a cultura Na’vi e se tornando um deles. Pra quem viu o filme sabe como é (sem paciênia para descrever a história).

O filme Avatar hoje tem um papel importante no cinema. Pois ele é totalmente rodado em 3D, que seria uma evolução do cinema, como o cinema sonoro nos anos 30. Mas o que mais é interessante é que o filme fala em preservar a natureza, suas culturas e seus povos. E a forma de se fazer o filme reforça ainda mais isso, pois, foi totalmente feito em 3D. Não é um filme que teve cenários gigantescos, milhões de figurinos, não destruiu nenhuma floresta ou paisagem (como em “A Praia”). Falou de preservação da vida, mas não somente no roteiro e sim na forma de conceber o filme.

É muito importante falar de preservação nos dias de hoje. Esse tema se parece com alguns livros chatos, que repetem a teoria diversas vezes. Mesmo assim as pessoas custam a entender. Seria preciso mil continuações de Avatar, para uma pessoa entender que, devemos preservar o meio ambiente. Pois como os Na’vi, estamos ligados a ele e se o planeta está morrendo nós também estamos.

Por isso me recuso a dizer que Avatar é somente um filme para o entretenimento. Não acredito que um filme não passe uma mensagem ou sentimento ao espectador. Como também que exista espectadores passivos, talvez um vegetal seja um espectador passivo, mas não um humano racional. Essa é apenas uma das mensagens do filme, que prega o amor entre as diferenças raciais, amor ao próximo e outros temas. Esse filme destrói com qualquer tipo de preconceito que possa existir em uma pessoa, claro se a pessoa for inteligente suficiente para entender que somos todos iguais e devemos nos amar assim como somos.

Por isso minha admiração ao diretor James Cameron. Todos os seus filmes tem algo de importante a dizer. Geralmente fala da vida e o que devemos fazer para não destruí-la. Em todos os seus filmes eu saio mal do cinema, sempre refletindo sobre o tema abordado que nunca é animador, mas que de certa forma, é um aviso de que devemos fazer algo.


Escrito por Osvaldo Reis